Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Graforreia Intermitente

Opinadelas, Politiquices, Ordinarices, Música, Cinema, Lirismo, Contos e muito mais!

Graforreia Intermitente

Opinadelas, Politiquices, Ordinarices, Música, Cinema, Lirismo, Contos e muito mais!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Curtas: Eurovisão 2018

Deixem-me ser do contra... por favor.

Fiquei muito triste com a pontuação final de Portugal. A Isaura compôs uma música da qual gosto e a voz da Cláudia Pascoal é das minhas preferidas desde que a ouvi no The Voice Portugal. Foi pena não termos conseguido mais votos, mas estão de parabéns, pois estiveram muito bem em palco e não nos envergonharam.

Por outro lado, fiquei muito contente por ter ganho a canção de Israel. Há meses que ando a ouvir a "Toy" da Netta. Que fique claro que sei distinguir boa música de música "menos boa", mas para mim, às vezes, é mais importante uma música ser divertida e levantar o ânimo do que ser a melhor composição do século.

Acreditem, vou ouvir a "Toy" milhares de vezes.

A música do Chipre também teria sido uma justa vencedora, pois a Eleni Foureira surpreendeu com a sua atuação de "Fuego". Ou então a "Lie To Me" da República Checa.

Nota final: Ao contrário da maioria, não gostei das atuações do Salvador Sobral. Lamento (ou não!).

 

 

Relembro que este blog já está presente no Facebook: Graforreia Intermitente.

Música: Ary dos Santos e Tourada por A Naifa

Há algo que muitos desconhecem, outros preferem ignorar, mas há Canção Portuguesa com letras muito interessantes e melodias muito agradáveis, especialmente aquelas cujo letrista foi Ary dos Santos.

Qual Bob Dylan, qual quê?! Se um letrista merece um Nobel da Literatura porque não Ary dos Santos, que acima de tudo foi poeta e declamador?!

Este é um tema interessante de abordar em conversas com amigos, principalmente se tivermos em conta que Ary dos Santos faleceu em janeiro de 1984 e eu nasci em dezembro desse mesmo ano, levando aos habituais comentários: "Mas como raio é que tu conheces essas músicas?"

Fácil. Para mim, a beleza das suas letras e dos seus poemas não morreu com Ary dos Santos. Aliás, assim o comprova a memória que alguns de nós temos de anteriores edições do Festival Eurovisão da Canção - Desfolhada Portuguesa, intepretada por Simone de Oliveira ou Tourada, interpretada por Fernando Touro - cujos temas vão sendo relembrados de longe a longe.

Mas nos anos mais recentes, as suas letras têm sido recordadas com as novas interpretações de projetos de música portuguesa muito interessantes, como Rua da Saudade, que presta homenagem a Ary dos Santos (álbum lançado em 2009).

Mas hoje, deixo-vos esta interpretação da música Tourada, feita pelos A Naifa que é algo de delicioso, não concordam?

 

 

 

Música: Diva Song – The Fifth Element

diva.jpg

 

Há filmes inesquecíveis com cenas igualmente inesquecíveis. Um desses filmes é The Fifth Element, de 1997, realizado por Luc Besson e cujos protagonistas são interpretados por Bruce Willis e Milla Jovovich.

Mas este post é sobre música, o que me leva à tal cena inesquecível neste filme: a cena da ópera na qual a Diva Plavalaguna canta a ária Il dolce suono (uma das árias que mais técnica e talento exige das suas intérpretes), da ópera Lucia di Lammermoor de Gaetano Donizetti, terminando a performance com The Diva Dance (a partir do 3:25m do vídeo abaixo).

Quem dá corpo à Diva Plavalaguna é a atriz e realizadora francesa Maïwenn, mas a sua voz é da soprano lírica albanesa Inva Mula.

No entanto, esta interpretação tem uma particularidade, pois se a ária, apesar de difícil, é possível de executar, a The Diva Dance é quase humanamente impossível de cantar, por implicar uma mudança demasiado rápida em notas já pos si difíceis. Por esse motivo, Inva Mula gravou essas notas separadamente sendo que The Diva Dance acaba por ser o resultado de uma “colagem digital”.

Esta música é algo de fenomenal e, de tempos a tempos, dou por mim a procurar a música no Youtube, acabando por ouvi-la em repeat até à exaustão.

 

 

Eu referi que a parte intitulada The Diva Song é quase humanamente impossível de cantar, mas uma simples rapariga de 11 anos, de seu nome Victoria Hovhavannisyan conseguiu fazer esta magnífica interpretação na versão russa do programa The Voice Kids.

 

 

Imagem retirada do site Scifi Movie Page, mas cujos direitos devem pertencer à Sony Pictures Entertainment

 

Relembro que este blog já está presente no Facebook: Graforreia Intermitente.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D